29/10/2017




Há dois anos, a atriz Nívea Maria enfrentou um grave problema de saúde. “Tive um edema de glote e fiquei fora do ar, em outra dimensão. Não senti nada, não sofri, mas quase morri”, contou ela, que ficou cinco dias desacordada na UTI. Totalmente recuperada, ela hoje tem uma certeza: não foi à toa. “Estava fazendo a novela Além do Tempo. Quando penso neste momento, acredito cada vez mais que não vale sofrer por bobagem. Quero mais é tranquilidade e ser feliz”, garante. 

Durante entrevista no hotel Windsor Marapendi, Rio de Janeiro, Nívea fez questão de demonstrar essa leveza que hoje marca seu dia a dia. Além da doença, ela já havia enfrentando outro período muito difícil, quando se separou do diretor Herval Rossano (1935 - 2007), há 17 anos. Na época, lutou contra a depressão, a insegurança profissional e “enlouqueceu com uma libertinagem tardia”, como define. “Com a minha idade e 54 anos de profissão, o que quero é dar continuidade ao meu trabalho, porque sei a importância que tenho. Não busco mais aplausos de ninguém, faço isso por mim”, diz a atriz.
Adoro cozinhar. Sempre gostei, mas hoje, mais do que nunca, vejo a tarefa como uma terapia. Depois que a gente chega a uma certa idade, algumas atividades normais ou ditas de mulheres do lar, como fazer uma faxina ou uma comidinha gostosa, se tornam prazerosas”.  

Depressão “Sofri de depressão exatamente no momento em que fui separada do Herval, como eu digo. Não optei por isso. Passei por esta crise pessoal e não percebi. Meus filhos que me alertaram e me levaram ao médico, onde vou até hoje. A doença tira a vontade de comer, dormir, olhar e conversar. A gente acha normal passar três dias em casa trancada, sem tomar banho e acredita que é suficiente aquela cama ou aquele sofá para você ficar parada, olhando para parede. Estava me apagando”. 


“E não foi apenas crise pessoal. Tive inseguranças, medo de me tornar inútil dentro da dramaturgia. As coisas não são muito a favor de atores da minha idade. Os temas, as histórias giram em torno de relações mais jovens, problemas da atualidade. Normalmente, a pessoa que tem mais de 50 anos não é protagonista destas histórias. Mas quando fui designada a fazer a Maria, de A Casa das Sete Mulheres (2003, Globo), tive a oportunidade de resgatar o prazer da minha profissão. Consegui os aplausos que precisava”.

fonte: Contigo

2

2 comentários:

  1. Parabéns Nívea Maria! Quem realmente te ama e quem realmente está do seu lado não vai te aplaudir por estar numa tela de TV ou cinema, vai te aplaudir pelo ser humano que você é e pelo exemplo de vida que dá. Que Deus te abençoe sempre. Sou seu fã.

    ResponderExcluir
  2. Por favor Nívia Maria,continua nós alegrando nas novelas,que seria de nós sem ter esta alegria das novelas Deus te ilumine com muita saúde.

    ResponderExcluir

 
COPYRIGHT (C) TODOS OS DIREITOS RESERVADOS - CANTINHO DAS IDEIAS
DESIGN POR SUSAN SANTOS | PROGRAMAÇÃO POR SARA SILVA