08/09/16




Aly Brothers é mãe de dois meninos e passou um aperto comum  para quem tem filhos pequenos: saber contornar crises em lugares públicos.

Eles estavam em um supermercado quando as duas crianças começaram a chorar, gritar e se jogar no chão.

 

Relato sobre maternidade

As pessoas começaram a olhar e a julgar o comportamento das crianças, o que fez com que Aly chorasse e escrevesse um desabafo sincero e emocionante, que publicou no Facebook junto com uma foto que mostra seus olhos cheios de lágrimas. "Maternidade é difícil. Ser mãe solteira é difícil. Essas lágrimas começaram no caixa do 'Giant Eagle' quando peguei o recibo e continuaram por todo o caminho de volta para casa", disse.
A publicação já teve mais de 19 mil compartilhamentos e 54 mil curtidas. "Os olhares e os cochichos de julgamento são duros. Às vezes eu consigo controlar minhas crianças e às vezes não. Às vezes eles me escutam e às vezes não. Às vezes eu consigo me controlar e às vezes me entrego", escreveu.
Aly relatou toda a história ocorrida no mercado, falou sobre as pessoas que a julgaram sem conhecerem os fatos reais e pediu mais compreensão com outras mulheres que podem estar enfrentando situações parecidas. "Eles não me conhecem como mãe. Eles não conhecem meus filhos. Eles não sabem que eu era casada quando formei minha família. Eles não sabem que eu deixei um relacionamento abusivo sabendo que seria ainda mais difícil ser mãe solteira. Então, se você vir pais enfrentando uma situação difícil, se você vir uma criança fazendo birra, se você vir uma mãe à beira do choro… Por favor, diga alguma coisa boa. Por favor, não olhe julgando. E para todas as mães que estão tendo um dia como o meu… Eu vejo vocês, eu compreendo vocês, eu amo vocês. Vocês são fortes e estão se saindo muito bem", finalizou.
Leia o texto na íntegra:

"Sem filtros, sem boa iluminação, sem batom novo. É cabelo bagunçado molhado de chuva, maquiagem de ontem porque eu estava muito cansada para tirar, e lágrimas. Maternidade é difícil. Ser mãe solteira é difícil. Essas lágrimas começaram no caixa do Giant Eagle quando peguei o recibo e continuaram por todo o caminho de volta para casa. Lágrimas que foram passadas para o meu filho mais velho sentado no banco de trás porque ele não gosta de ver sua mãe chorando. A gente sabe o quanto os meninos amam suas mães.Meus dois meninos loiros, de olhos azuis e carinhas de anjos não estavam tão angelicais hoje. Eram 8h da manhã e nós estávamos sem leite. Fomos até o mercado porque, se você conhece meus filhos, você sabe que eles não sobrevivem sem leite com chocolate. E eles estavam sem.Meu caçula chorava quase o tempo todo que a gente estava dentro da loja. Ele não queria ficar sentado no carrinho, não queria usar o cinto e queria segurar todas as compras no colo. Ele ficou furioso. Jogou seu sapato, minha carteira e todos os itens que cabiam no seu colo. E ele chorou. E as pessoas encararam. Estava tudo bem, eu consegui lidar com aquilo. Meu menino de três anos queria ser o Super-Homem e ficou em pé no carrinho. Tudo bem. Eu falei para ele se segurar. Ele não se segurou. Ele caiu, se inclinou para trás e bateu nas coisas que estavam nas prateleiras. Ele se inclinou para trás e esbarrou em um estranho. Então eu o fiz descer e andar, e ele andava bem à minha frente abrindo todas as portas da seção de congelados me dizendo todas as coisas que ele queria. Eu tentei controlar aquilo. Eu parei várias vezes para recompor a mim e as crianças.E então nós vimos balões. Como meus filhos adoram balões! Eles queriam os balões enormes que custam 8 dólares, mas sugeri comprar apenas um e compartilhar. Eles concordaram, mas depois cada um foi pegar o maior balão de Mickey Mouse e percebi que não queriam compartilhar. Eles gritaram, gritaram, lutaram. Eu entreguei o balão para a outra caixa colocar de volta e eles gritaram mais alto. Meu filho mais novo apertava os botões na máquina de cartão enquanto o mais velho pegava doces. As pessoas atrás de mim na fila olhavam, o caixa olhava, os olhos de todos estavam em mim como se dissessem: "você não pode controlar os seus próprios filhos". Um senhor mais velho sussurrou: "ela é muito jovem para duas crianças". Então o caixa me entregou o recibo e eu chorei. Eles não me conhecem.Eles não me conhecem como mãe. Eles não conhecem meus filhos. Eles não sabem que eu era casada quando formei minha família. Eles não sabem que eu deixei um relacionamento abusivo sabendo que seria ainda mais difícil ser mãe solteira. É difícil. Os olhares e os cochichos de julgamento são duros. Às vezes eu consigo controlar minhas crianças e às vezes não. Às vezes eles me escutam e às vezes não. Às vezes eu consigo me controlar e às vezes me entrego.Eu sei que esses dias vão passar, que as lágrimas vão parar, que as brigam vão terminar e que meus filhos vão crescer. E eu sei que isso vai ser difícil também. Então, se você vir pais enfrentando uma situação difícil, se você vir uma criança fazendo birra, se você vir uma mãe à beira do choro… Por favor, diga alguma coisa boa. Por favor, não olhe julgando. E para todas as mães que estão tendo um dia como o meu… Eu vejo vocês, eu compreendo vocês, eu amo vocês. Vocês são fortes e estão se saindo muito bem."

fonte: vix.com
0

0 comentários:

Postar um comentário

 
COPYRIGHT (C) TODOS OS DIREITOS RESERVADOS - CANTINHO DAS IDEIAS
DESIGN POR SUSAN SANTOS | PROGRAMAÇÃO POR SARA SILVA