20/01/16


1. Melhorias na alimentação
Considerando que tudo o que você come também se transfere para o bebê, é preciso cuidar com calorias vazias, excesso de alimentos industrializados cheios de açúcar, sal e gordura. Futuras mamães precisam incluir no cardápio mais opções naturais, fontes de fibras, vitaminas e minerais como frutas, legumes, verduras e carnes magras. O objetivo é evitar o ganho excessivo de peso, afastar o risco de pressão alta e diabetes, que atingem até 14% das grávidas e está por trás de complicações como pré-eclâmpsia e parto prematuro.
2. Alternativas na rotina de beleza
As grávidas precisam tomar mais cuidado ao pintar cabelo e evitar a todo custo passar por procedimentos químicos e tratamentos invasivos de beleza, como permanentes e escovas progressivas, além de outros tratamentos estéticos para pele.
3. Manter distância do volante
Na reta final, é preciso assumir o posto de passageira. Idealmente, as gestantes devem se sentar, sempre que possível, no banco de trás do automóvel a partir do sétimo mês. Mas há médicos que permitem que se dirija até o último mês, caso não consiga escapar do papel de motorista. Mas os cuidados extras no carro não param por aí: futuras mamães precisam se preocupar até com o posicionamento do cinto de segurança, que deve ficar com a tira inferior abaixo do abdômen e a superior entre as mamas, desviando da barriga.
4. Adeus, sapatos de salto alto
Quando o hormônio relaxina age no tornozelo, eleva a probabilidade de torção do pé, já que afrouxa os ligamentos. É por isso que as grávidas evitam usar sapatos de salto alto. Sem contar que, na gravidez, a mulher joga o corpo para trás, acentuando a curvatura da lombar para compensar o peso da barriga, o que compromete o equilíbrio e pode levar à queda e lesão na coluna.
5. Atenção com os cosméticos
Se aplicadas na pele, algumas substâncias caem na corrente sanguínea e atravessam a placenta, com potencial de afetar o bebê. Por isso, antes de usar produtos de beleza, mamães têm de consultar o médico: ele dará a palavra final sobre cosméticos e tratamentos dermatológicos. A boa notícia é que existem linhas específicas para gestantes que são livres de ingredientes nocivos. Ainda assim, o ideal é apresentá-las ao especialista, que irá analisar o risco.

Troque algumas atividades físicas por outras de menor impacto
6. Atividades físicas
Também nos últimos meses de gestação, é comum que o médico faça algum tipo de restrição quanto ao tipo de atividade física praticada. Isso porque, neste ponto da gestação, é preciso reduzir um pouco impacto e o risco de queda, sendo prudente ao não se expor à corridas, pedaladas, saltos e outras estripulias.
7. Voos
Outra provável recomendação do obstetra na reta final da gestação é evitar fazer voos longos e, principalmente, ir para lugares isolados ou ermos. É preciso estar sempre alerta e preparada para ir ao hospital a qualquer momento a partir de 28 a 38 semanas de gestação.

8. Cigarro e bebida alcoólica
Essa é uma das primeiras mudanças que toda mulher tem de assumir quando engravida. Apesar de óbvia, ela precisa sempre ser reforçada, já que sem dúvida alguma pode afetar a formação, a saúde e a qualidade de vida do bebê.

fonte: bolsa de mulher
0

0 comentários:

Postar um comentário

 
COPYRIGHT (C) TODOS OS DIREITOS RESERVADOS - CANTINHO DAS IDEIAS
DESIGN POR SUSAN SANTOS | PROGRAMAÇÃO POR SARA SILVA