03/09/15





O refluxo gastroesofágico é uma condição digestiva relativamente comum nos dias de hoje. Ela afeta o esfíncter esofágico inferior, o músculo localizado entre o estômago e o esôfago. Em uma situação normal, ele se abre para permitir que os alimentos cheguem até o estômago, e então se fecha para que o conteúdo não volte.



No entanto, quando o esfíncter está fraco ou relaxa de forma inapropriada, os sucos gástricos do estômago podem voltar para o esôfago, provocando assim o refluxo gastroesofágico.
Se você ou alguém que você conhece sofrer com este problema, vale a pena conhecer mais sobre o refluxo e sobre as diferentes maneiras de tratá-lo. É sobre isso que falaremos neste artigo.

Fatores de risco



O que causa esta alteração no esfíncter e, consequentemente, o refluxo gastroesofágico? Bem, existem alguns fatores diferentes que podem influenciar o surgimento da condição.
Estes são os principais fatores de risco desta doença:
·      Obesidade
·      Hérnia de hiato
·      Gravidez
·      Comer rápido demais
·      Fumar
·      Asma
·      Diabetes

Sintomas do refluxo gástrico

Em algum momento de nossas vidas, todos nós podemos padecer de refluxo gástrico. Ele está presente quando arrotamos, quando sentimos azia ou quando temos um gosto ácido na boca. No entanto, se estes e os seguintes sintomas começarem a fazer parte da sua vida com frequência, interferindo nas suas atividades normais, é importante consultar um especialista para obter um diagnóstico e iniciar o tratamento mais apropriado para o seu caso.
·      Regurgitação ácida (sentir novamente o gosto da comida, agora um pouco ácido, na boca depois de comer)
·      Dores no peito
·      Dificuldade ou dor para engolir
·      Excesso de saliva
·      Mau hálito
·      Tosse seca
·      Dor de garganta


Como tratar o refluxo gástrico

Geralmente o tratamento tem início com o uso de medicamentos comuns comprados nas farmácias e receitados pelo seu médico. Podemos fazer uso de antiácidos que neutralizam os ácidos estomacais, medicamentos para reduzir a produção de ácido e até que a bloqueiam e curam o esôfago.
O uso destes remédios deve ser conversado com o seu médico, principalmente se os sintomas já estiverem presentes durante um período de tempo significativo.
Além disso, também podemos complementar o tratamento com algumas mudanças em nosso estilo de vida em geral, adotando hábitos mais saudáveis que irão ajudar a prevenir e tratar os sintomas do refluxo. Estes são alguns deles:

Mantenha um peso saudável

Os quilos a mais pressionam o abdômen, empurrando o estômago e contribuindo para que os ácidos voltem para o esôfago. Se você já tiver um peso saudável, tente mantê-lo, mas se você estiver acima do peso ou sofrer de obesidade, mude seus hábitos alimentares e comece a fazer atividade física para perder peso com calma e gradativamente, sem dietas radicais.

Evite roupas muito apertadas

Roupas apertadas na região da cintura colocam uma pressão extra no abdômen e no esfíncter, piorando a condição.

Evite determinados alimentos e bebidas

Nem todos os alimentos podem cair bem, por isso vale a pena ficar atento ao que você come e quais destes alimentos desencadeiam o refluxo e a acidez estomacal. Alguns dos mais comuns são as frituras, o chocolate, o álcool, o molho de tomate, a cebola, hortelã e cafeína, mas eles podem variar de caso para caso.

Faça refeições pequenas

Divida a sua ingestão calórica diária em mais refeições com uma menor quantidade de alimentos. Assim você evitará exageros que podem desencadear o refluxo.Lembre-se também de comer devagar.


Não se deite depois de comer

Sabemos que, em alguns momentos, deitar-se depois de comer é tentador, mas devemos evitar este tipo de comportamento, pois ele favorece o refluxo. Espere pelo menos três horas para se deitar após uma refeição.

Eleve a cabeceira da cama

Se você sofrer com o refluxo durante a noite, vale a pena aproveitar a ação da gravidade e elevar a cabeceira da cama. Se não for possível fazer isso, você pode colocar algo embaixo do colchão na área próxima à cabeceira, ou até usar travesseiros extras.

Não fume

Se você for fumante, então damos mais um motivo para largar este hábito terrível.O cigarro reduz a capacidade do esfíncter esofágico inferior de funcionar corretamente.

Remédios naturais

Também é possível fazer uso de alguns remédios naturais para aliviar os sintomas desta condição. Por exemplo:
·      1 punhado de amêndoas cruas todos os dias para equilibrar o pH do estômago
·      60 ml de suco de aloe vera para reduzir as lesões causadas no esôfago
·      1 xícara de chá de camomila para relaxar o estômago
·      1 xícara de chá de gengibre para proteger o estômago e prevenir úlceras
·      1 pitada de cúrcuma nas suas refeições para favorecer a digestão e prevenir a acidez


fonte: melhor com saúde


1

1 comentários:

 
COPYRIGHT (C) TODOS OS DIREITOS RESERVADOS - CANTINHO DAS IDEIAS
DESIGN POR SUSAN SANTOS | PROGRAMAÇÃO POR SARA SILVA