01/01/15



Você faz parte da turma que nem sentiu 2014 passar --ou melhor, sentiu passar, sim, só que atropelando tudo pela frente? Evite que o próximo ano seja confuso, atribulado ou desorganizado fazendo algumas modificações simples, mas relevantes, no seu dia a dia.
Veja a seguir, dez atitudes que podem te ajudar a ter uma rotina mais leve e feliz:
1. Ingira doses homeopáticas de diversão

Muita gente parece viver condicionando sua felicidade à diversão futura  --que, vale frisar, pode ou não acontecer. Exemplos? A balada imperdível na última sexta do mês, o feriado prolongado na praia, o cruzeiro nas férias, a festa de casamento da melhor amiga. "É preciso encontrar prazer e se divertir sempre, em momentos que não precisam ser necessariamente grandiosos para causar satisfação e alegria", observa a psicóloga Karina Rodrigues, mestre em Educação pela Universidad de Jaén, na Espanha, e coordenadora geral do site saber.tv. E mais: o tempo para essa diversão deve ser tratado como prioridade na agenda, assim como os compromissos profissionais, pagamentos de contas e consultas médicas. É como bem reflete Mafalda, a garotinha inconformista criada pelo cartunista Quino: "O urgente nunca deixa tempo para o mais importante." Está na hora de mudar isso.

2. Detalhe as metas

Parar de fumar, emagrecer, praticar exercícios, fazer uma pós-graduação, aprender um idioma, trocar de emprego... Fim de ano representou o encerramento de uma fase, por isso não há época mais propícia para fazer uma listinha de resoluções para o próximo ciclo. Um grande erro, porém, é se concentrar somente nos objetivos, em vez de dedicar tempo e energia pensando na maneira de realizá-los. É por isso que muitas resoluções não saem do papel. De acordo com Maíra Larangeira, especialista em programação neurolinguística do INAp (Instituto de Neurolinguística Aplicada), as metas precisam estar formuladas de forma positiva, com descrição clara sobre o que se quer alcançar e com prazo certo para cada etapa. "O estado atual e o desejado devem ficar por escrito, assim como informações para a pessoa perceber concretamente que está se aproximando da meta. E deve ainda responder uma questão importante: como se sente quando pensa que conquistou a sonhada realização?", fala Maíra, que recomenda ainda deixar as metas em um local onde poderão ser vistas todos os dias.

3. Liste três coisas boas do dia

"Mesmo um dia escabroso pode ter algo de belo. Pode ser uma frase engraçadinha de um filho, a gentileza de um estranho, a leitura de um bom livro, uma xícara de café quentinho... Identificar as delícias da rotina, mesmo coisas prosaicas, ajuda o organismo a liberar endorfinas, substâncias produzidas naturalmente pelo cérebro que proporcionam a sensação de bem-estar", comenta a psicóloga Denise Pará Diniz, coordenadora do Setor de Gerenciamento de Estresse e Qualidade de Vida da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo). Ela aconselha listar --se for por escrito num caderno ou agenda, melhor ainda-- pelo menos três coisas boas por dia.

4. Faça atividades com crianças

Na opinião da psicóloga Karina Rodrigues, mestre em Educação pela Universidad de Jaén, na Espanha, essa é uma excelente maneira não só de se forçar a viver os acontecimentos no momento presente como também de relaxar, descansar a mente, desacelerar. "Pode ser assistir um desenho animado, colorir desenhos, brincar com tintas, se divertir com um jogo de tabuleiro... O importante é se entregar à diversão", conta.

5. Coma em paz

Conforme estudos recentes de cientistas como Jason Barkley, de Ohio (EUA), o uso constante de smartphones na hora das refeições, principalmente para quem faz a maior parte delas fora de casa, compromete a qualidade de vida das pessoas que não abrem mão de ler ou trocar mensagens nem no momento de comer. Segundo as pesquisas, quem tem esse hábito costuma se alimentar mal, pois não presta atenção na quantidade nem na qualidade do que come. "A refeição deve ser uma ocasião de sossego, tranquilidade ou confraternização com família e amigos. Mexer o tempo todo no aparelho entre uma garfada e outra faz desse momento algo automático, apressado e sem prazer. Quem quer ter mais energia em 2015 precisa evitar a todo custo essa atitude", diz a psicóloga Karina Rodrigues, mestre em Educação pela Universidad de Jaén, na Espanha.

6. Arrume tempo para fazer... nada

E, na opinião de Sílvia Maria Gonçalves, psicanalista e psicóloga do Hospital São Luiza Jabaquara, na capital paulista, isso não significa ficar zapeando diante da TV ou fuçando a internet. "É se desligar o máximo que puder do trabalho ou das obrigações, dar uma pausa, limitar os estímulos", comenta a especialista. Alguns exemplos: meditar, rezar, tirar uma soneca, dar um tempo de uns dez minutos para tomar um cafezinho durante o expediente, contemplar uma obra de arte ou uma paisagem, fazer um exercício de respiração... "Tudo isso é revigorante e ajuda a atenuar um cotidiano sobrecarregado", fala Sílvia Maria.

7. Livre-se da obrigação de se informar

Seriados, filmes, músicas, exposições, restaurantes, passeios, campanhas, modismos, desfiles, protestos... O mundo nunca foi tão vibrante e sedutor como na era da internet e das redes sociais. O acesso à informação não deve se transformar na obrigação da informação, segundo Sílvia Maria Gonçalves, psicanalista e psicóloga do Hospital São Luiza Jabaquara, de São Paulo (SP). "Há muita oferta e as pessoas estão extremamente ansiosas, reféns da sensação de que o tempo todo estão perdendo algo. E estão, mesmo, e precisam fazer escolhas. O único modo de driblar essa ansiedade é aprender a escolher, priorizar e se entregar à opção", explica.

8. Gerencie seus pensamentos
Segundo a psicóloga Denise Pará Diniz, coordenadora do Setor de Gerenciamento de Estresse e Qualidade de Vida da Unifesp, todos nós podemos desenvolver essa capacidade --basta treinar. Funciona assim: se um pensamento ruim ou pessimista começar a surgir na sua mente, tente esquadrinhá-lo e identificar o que fez com que ele aparecesse e avaliar se a emoção que ele provoca tem mesmo um motivo racional. "Isso faz com que um pensamento negativo vá perdendo força. Você também pode tentar substituí-lo por algo positivo, uma lembrança ou memória que lhe traga prazer e bem-estar imediatos", sugere a especialista. 
9. Fique um pouco offline
"Ter um dia a dia mais produtivo pode ser possível se você simplesmente desabilitar as notificações das redes sociais. Evite que a todo minuto sofra uma interrupção por algum tipo de aviso, tanto no celular quanto no computador, principalmente quando estiver numa fase atarefada ou com dificuldade para se concentrar", declara Christian Barbosa, especialista em gerenciamento do tempo e produtividade pessoal e criador do portal Eprodutivo.com. Pense que a maior parte das mensagens que você costuma receber nem sempre é, de fato, urgente ou fundamental. Muitas vezes elas se tornam apenas facilitadores da procrastinação e da desorganização. Ficar um pouco offline também vai ajudar a diminuir a ansiedade em relação às informações. E mais: se for algo realmente crucial, vão dar um jeito de achar você.

10. Não sobrecarregue as segundas-feiras

"Tome muito cuidado com esse dia. Se você planejar muitas tarefas para ele, correrá o risco de não cumpri-las e, assim, comprometer todo o restante da programação da semana", orienta Christian Barbosa, especialista em gerenciamento do tempo e produtividade pessoal e criador do portal Eprodutivo.com. O organismo ainda está impactado pelo fim de semana e, em geral, o ritmo das pessoas ainda não "engrenou". Tente, em vez de investir em compromissos ou obrigações, fazer alguma coisa que lhe dê prazer, como ler ou ir ao cinema, ou ainda praticar atividade física, que dá energia e melhora o astral.
http://mulher.uol.com.br/
0

0 comentários:

Postar um comentário

 
COPYRIGHT (C) TODOS OS DIREITOS RESERVADOS - CANTINHO DAS IDEIAS
DESIGN POR SUSAN SANTOS | PROGRAMAÇÃO POR SARA SILVA